Monday, May 16, 2011

Wiesn, a Oktoberfest de Munique

Mochila pronta de novo, rumo a Munique. Sim, não podia vir aqui e não ir à tão famosa Oktoberfest. Desde que cheguei à Irlanda planejo ir... Dessa vez não deu outra! Marquei pro primeiro fim de semana do festival!
Antes, fui a Madri e Barcelona... como esse blog é uma bagunça mesmo, conto depois (e tome promessa!).
É bom lembrar que o festival, apesar de ter esse nome, começa em Setembro! Galerinha que não é ligada, se ligaê! E o nome mesmo oficial do negócio é Wiesn, não Oktoberfest... este último é só de marketing... ;)
Peguei o avião e fui embora pra Munique. A verdade é que eu fui a Munique, mas não fiquei lá... Explico. Fiquei de encontrar um amigo do Damien, o Peter. Alemão gente boa, mas alemão... meio estranhinho... acho que é mais falta de costume mesmo da minha parte, né, Manu?
Peter foi me buscar no carrinho básico dele... daqueles que só cabem duas pessoas, sabe? Pois é. Ele não mora em Munique, então pegamos a estrada e fomos a Garmisch-Partenkirchen. Como cheguei à noite, só passamos num supermercado pra comprar umas coisinhas e fomos à casa dele. Chegando lá, ele me fez um 'de-comer'bem rápido, mas delicioso! Uma salada de cebola e muçarela (mozzarela, para italianos) com um molho que acho que era vinagre balsâmico. Mas tava delícia... só não sei se era minha fome.huahusahushuashuashu...
Conversamos bastante e Peter me cedeu a cama dele pra eu dormir. Um amor! Ele foi dormir na campervan dele. Ah! O alemão é chef de cozinha. Menino, eu tava feita na vida! Cerveja boa e comida de qualidade! ahsuahsuauhsauhsuhashusa Ele me ofereceu também um álcool feito de maçã (não, não era cidra... tava mais pra cachaça).. gostoso, mas foooorte!
Dia seguinte, vamo passear, né? Conhecer a cidadezinha que o chef mora. Ficamos conversando, conversando... e passeando no carro-só-pra-duas-pessoas dele. Eu me achei, né? Ahuashuashashuashu! Fomos ao restaurante que ele costumava trabalhar e ele pediu aos chefs de lá pra fazer sei lá o que pra mim. Sei que eu comi e tava bom! Adoreeei ser paparicada no restaurante chique.

Eu e Peter, no restaurante onde ele trabalhava

Peter tinha pedido demissão porque... ora, por quê! Ele é assim mesmo. Trabalha seis meses, fica de férias seis meses (geralmente vai à Tailândia e Índia nesse tempo). Tipo um freelance mestre-cuca. Vida supertriste, né? Pois...
Continuamos passeando e ele foi me mostrar uma pista de ski (ou é snowboard? o.O) que foi construída nos tempos que Hitler tava no poder, pra os jogos de inverno da época... e a pista ainda tava lá, novinha da silva! Uma pena ainda estar no fim do verão... não tinha neve... ;~~
A cidade é bonita, tenho de dizer. Peter também me levou a um hotel em que ele trabalhou por umas temporadas. Hotel lindo, com vista pra um laguinho superbucólico e tudo. Paisagem bela. A essa hora, eu tava quase esfalecendo de fome. Dor de cabeça, já. Pra onde o alemão me levou? Pro bar, claro! Tomar cerveja! Ahuashuahusausauhshu... segundo ele, a melhor do mundo:
A melhor cerveja do mundo, segundo Peter

De lá, ele resolveu me levar pra casa. Comer? Ainda demorou... é um rituaaaal pra esse homem cozinhar, meu Deus! Disse a ele que não estava me sentindo bem... e ele me deu um chá. Oi? Quem me conhece, sabe que pode me oferecer xixi, mas não pode me oferecer chá! Acontece que o bonitão lá não me conhecia. Tive de aceitar... e, pela primeira vez na vida, tomei um chá que não tinha gosto de mato. Não me peça pra dizer qual era o tipo, porque eu não lembro. Sei que deu pra tomar... Comecei a me sentir melhor e, finalmente, ele terminou de cozinhar! Amém. Nem lembro mais o que foi, mas lembro que estava divinamente delicioso! Nem de tirar foto me lembrei! ashuahsuahushuashaushuas Fome da gota!
Dia seguinte, dia de tomar uma em Munique. Fomos encontrar Damien cedinho de manhã e, de lá, pra farra. O lugar do festival é muuuuuuuuuuuuito massa! Bem grande e milhões de barraquinhas pra comer salsichão e todo tipo de comida alemã. A verdade é que eu queria mesmo era usar um daqueles vestidos tradicionais. A blusinha branca de baixo já resolvia. Mas não rolou... não tinha pra vender! Um absurdo!
Foto com o chapéu, só pra constar! =)

Fomos pra tenda da Paulaner (DICA!! Se você pretende ir à festa, chegue por lá umas 11 da manhã no máááximo! A gente quase não entra em tenda nenhuma, de tanta gente!).
O copão de cerveja só era vendido para aqueles que estavam em mesa E tinham o copo "refil". Portanto, se você for e não tiver mesa, trate de fazer amizade... como nós! ahsuauhsahusuhasuh Peter ficou lá 2 minutinhos conversando com uns jovenzinhos e nos arrumou copos. Começou a brincadeira... que eu nem vou dizer como terminou, né? Me poupem dos detalhes sórdidos...

Dia seguinte, passeamos novamente por Garmisch. Subimos uma montanha pra chegar num barzinho láááá no alto, muuuuito lindinho! E com vista pra montanha mais alta da Alemanha. ^^
No caminho pro bar...
Peter e a mamis gente boa dele

Peter nos apresentou a mãe dele, uma figuraça! Não sabia uma palavra de inglês, mas nos comunicamos e tomamos um cafézinho com bolo na casa (superalemã) dela depois da montanha.
Finito o passeio, hora de voltar pra Dublin... =/
Deliciem-se com a cidadezinha linda:

1 viagens...:

Robi said...

Só tenho uma dúvida: ele, seu amigo alemão, por acaso saiu vestido assim (camisa xadrez e suspensório estampado) porque ia se apresentar numa dança típica da região... ou esse é o jeito básico dele se vestir? O.o