Friday, November 27, 2009

Com o Sport eternamente estarei

0 viagens...

Pois rubro-negras são as cores que abracei
E o abraço, de tão forte,
Não tem separação
Pra mim, o meu Sport É religião
A vida a gente vive pra vencer
Sport, Sport
Uma razão para viver

Treze de Maio,
Mil novecentos e cinco
Dia divino em que Guilherme de Aquino
Reune, no Recife, ardentes seguidores
Fundando esta nação de vencedores
Que encanta, enobrece e dá prazer
Sport, Sport
Uma razão para viver

Eterno símbolo de orgulho
É o pavilhão de listras pretas e vermelhas,
Com o Leão erguendo, imponente, o imortal escudo
Mostrando à gente que o Sport é tudo
Que a vida tem de belo a oferecer
Sport, Sport Uma razão para viver



SÓ PRA DIZER DUAS COISAS:
1. Não importa onde, quando, como. Sport tá na minha alma.
2. Coloquei fotos minhas pelo mundo no meusport.com
chega por lá... ;)

Saturday, November 21, 2009

Ideia de gringo sobre o Brasil/brasileiros

1 viagens...

As duas situações aconteceram com Guilherme, paulista-pernambucano erradicado em fortaleza e amigo meu aqui em Dublin:

Situação 1.
Estava Guilherme trabalhando na dele, arrumando as bananas da caixa quando, de repente, o chefinho reclama:
- Guilherme! Você como brasileiro deveria saber que você não pode cobrir as bananas desse jeito!
Guilherme olha pra cara da alma sebosa e diz:
- Vem cá... eu por acaso tenho cara de quem tem bananeira no quintal de casa, tenho?


Situação 2.
Estava Guilherme na casa da namorada, conversando com uma galerinha gringa. Daí vem uma figura [porque só chamando assim mesmo, viu...]:
- Nossa! O que vai ser do Brasil agora??
- Oi? Como assim?
- Você não soube do apagão que teve no Brasil?
- Sim, que que tem?
- E agora? O Brasil sem luz... como vai ser pra sediar a copa e as olimpíadas????
- ¬¬'


Pois é... e olhe que o Brasil foi capa da The Economist dessa semana, viu... Já pensou?

* As situações e palavras utilizadas certamente não foram essas, mas a história é o que importa...

Wednesday, November 11, 2009

London, London... #2

0 viagens...

Segundo dia de Londres, fui bater perna, né? Claro!
Peguei o metrô e fui direto pra Tower Bridge. Muito massa lá. O castelo que tem ali [não me recordo o nome] a gente tem de pagar pra entrar. Não entrei. Mas, passeando por ali, fui a uma igreja bem velhinha que tinha lá, que não era nada menos do que a mais antiga igreja de Londres. Lindinha mesmo.

Caminhando pela beira do Tâmisa, cheguei à ponte. Linda, enooorme! Atravessei com bastante calma... do outro lado, comprei um doughnut [sonho, mehor dizendo...] e fui comendo e admirando a paisagem.

Aquele era o dia pra aproveitar e ir aos museus... então, fui logo ao Tate Modern, que Larissa havia me sugerido por e-mail. É uma viaaaaaagem aquele museu, minha gente! Museu de arte moderna sempre é uma caixinha de surpresas, né? Tava rolando uma exposição sobre o Futurismo lá, 10 libras pra entrar... mas minha intenção não era gastar, portanto, não entrei. O museu, por si só, fez o papel de encher meus olhos. =) Pena não poder tirar foto lá dentro...
De lá, peguei o velho metrô e fui pro British Museum. Enooooooooooooorme! E vale muito a pena! Nem lembro mais se foi de graça... ahahahahah acho que sim.

De lá, encontrei Hugo e fomos passear mais... nada de excitante, mas é sempre bom ter contato com pessoas que você conhece há pelo menos 15 anos...