Friday, August 7, 2009

A saga de Luxor - Parte III

Quando estávamos entrando na van, o dono da agência lá olhou pra Rodrigo e perguntou:
- Tá tudo bem?
- Olha, eu acho melhor a gente conversar em outro momento...
- Tudo bem, a gente vai conversando na van...

Mas aí nem Rodrigo nem o Mohammad dono falaram nada.
E fomos pro East Bank.
É. Luxor é dividido pelo Nilo em East e West Bank.
No East Bank a gente foi visitar os templos de Karnak e Luxor.
Tava bem quente quando a gente chegou por lá, né... até aí tudo bem...
Até que o nariz de Rodrigo começou a sangrar.
Geeente! De repente, sangue! Aimeudeus! Arruma um lenço de papel, coloca a cabeça pra cima... sufoco!

Quando parou, a gente pode seguir. Coloquei meu chapéu na cabeça de Rodrigo e fomos com o pessoal.sorrisoooo =D

É impressionante como os egípcios, naquela época, conseguiram erguer aquela mostruosidade de templo...
chegando, tudo é lindo... huuhuhuh

olha o tamanho das pessoas e o tamanho da coluna... =O

O templo de Karnak, no seu auge, chegou a ter o tamanho da metade da ilha de Manhattan. Creiam!
Muito bonito, por sinal. Se você for a Luxor, não pode deixar de ir.
E a quentura aumentando...
E tome protetor solar... e tome hydrafil...
O pior lá não era só a quentura, era a sequidão...
Meu rosto parecia que estava em brasa! A sensação é péssima. Acho que só me senti assim quando fui a Brasília. Porque você não sua, mas sente a quentura toda no corpo. Horrível! Além do mais, o templo não tem teto... aí piora tudo.
Porém, o templo é lindo! Valeu a pena o calor...
é alto demais! e tem hieróglifo por todo lado!

se vai pro Egito, tem que pagar mico! huuhuhhu


De lá, fomos ao templo de Luxor, que em dado momento da história, chegou a se "encontrar" como templo de Karnak.
Acontece que eu não estava me sentindo bem. O calor tava grande demais e eu preferi ficar do lado de fora, esperando o pessoal sair.
foto de Rodrigo, do templo de Luxor
saindo do templo... o chapéu já tava na minha cabeça... calor demais!

Lá fora, fiquei me molhando com a água que tínhamos - e, a essa altura, já era águe quente - e olhando a paisagem. Acabei conhecendo um Mohammad que era PhD em arqueologia. Ele me contou algumas coisas sobre o templo de Luxor e ficamos conversando sobre filosofia, política, economia, história... enfim! Foi inclusive ele que me contou que naquele dia a temperatura estava 43 graus celsius. Aí foi que eu entendi o porquê de ter passado tão mal...
Depois de mais de uma hora, Rodrigo me chama...
- Mulher! A saída não é por aqui não! haahhaahhahaa
- E eu sabia lá!
- A saída é do outro lado... o motorista esqueceu de tu!
- Oi?
- É, pô! Eu falei a ele pra te pegar, mas ele nem me ouviu... o pessoal da van falou também, mas parecia que ele era surdo! Só quando ele deixou toooodo mundo nos hotéis foi que ele veio me ouvir. Aí voltamos aqui pra te pegar... vamo nessa!
- Que alma sebosa!

Pedimos pra descer em um mercadinho perto do hotel que estávamos pra comprar água e comida. Depois fomos pro hotel.

Ah! Uma coisa interessante que eu não tinha contado...
Os táxis ficam parados na frente do hotel... na verdade tem táxi em todo canto! E os taxistas ficam se oferecendo incessantemente! Chega a encher o saco!
Teve uma hora que a gente tava a 50 metros do hotel, o taxista chegou na gente e perguntou se a gente precisava de táxi. Dá pra acreditar? ahahauhahuauhauhauhhauuhauhahau

Vimos o pôr-do-sol do último andar do hotel [eu bem longe da sacada né, claro]. Lindo lindo lindo!
Aí decidimos tomar café-da-manhã no outro dia lá no último andar, pra ver o sol nascer... =)
Perguntamos se seria possível, a menina da recepção disse que sim, sem problema...

Fomos dormir com o ar-condicionado na última potência. É quente até de noite!

continua...

0 viagens...: