Tuesday, August 4, 2009

A saga de Luxor - parte II

Depois de usar a internet numa "lan house", voltamos ao hotel e algo inusitado passou ao nosso lado: uma moto.
Mas o interessante não era a moto. Era o fato do motorista estar usando um capacete de pedreiro na cabeça!
Pessooooas! Foi hilário! ahuauhahuahuahuauhahuauh!! Peeeeeense!

Chegando no hotel, o Mohammed tava lá esperando pelos dois "ota", né?
- Meu querido, a gente tava passeando pelo porto e uma figurinha nos ofereceu o mesmo que você, só que por um terço do valor. E aí?
- O mesmo? Impossível! Nenhum daqueles lá faz o mesmo passeio que nós! Confie em mim, má frêndi...
Um olhou pra cara do outro sem saber o que dizer, né... Acabamos cedendo ao Mohammed.
Chegamos na Felucca, tinha um boyzinho e um tiozinho, que era o "capitão".

na Felucca...

Pegaram uma carona com outro barco que tinha motor e chegamos na famigerada ilha da banana.

Chegamos lá rapidinho...
O que tem na ilha da banana, minha gente??
CLARO! Banana!
ainda achando que tinha alguma coisa naquela pseudo-ilha, além de banana...

A gente achando que era uma iiiilha mesmo... que a gente ia andar, andar, andar... que veríamos paisagens belíssimas e tal.
¬¬
Que naaaaaaaaaada!
Tinha um corredor com um monte de pé de banana e só!
Pense num ódio!
Fechei logo a cara. Quem me conhece sabe que quando eu fico com raiva meu humor desaparece né...
Pois é. Fiquei de cara fechada o tempo todo.
O capitão da Felucca achando que eu e Rodrigo éramos um casal, puxou um pouco de conversa...
- Meu amigo, a gente não é casal.
- Oi? Como assim não é casal?
- Não, amigo.. não somos! Não queríamos um passeio romântico. Não queríamos ficar sozinhos. Queríamos um lugar pra nos divertir. Cadê?
O coitado do capitão não tinha a mínima culpa... o trabalho dele era levar a gente e trazer. Só. Mas meu ódio se espalhou por todos os cantos... e o coitado levou... mas eu pedi desculpa a ele depois... =/
- Olha, minha raiva não é de você. É do Mohammad lá. Você não tem culpa de nada...
O bichinho olhava pra mim com uma cara tão de coitado...
- Pega uma bananinha... é de graça.
- Vai, Rodrigo, vamo comer banana... pelo menos, né...
- Débora... eu tenho prisão de ventre. Banana prende!
- Ah, meu filho... mas coma... ahuahaauhahuahuauhauhahu
Aí deu a hora de voltarmos. A gente não aguentava mais de comer banana e reclamar...

minha cara de feliz pelo passeio...

O tiozinho lá, morto de vergonha, quis amenizar a situação e fez uma brincadeira com a gente durante o percurso de volta... foi até legalzinho... mas ele fedia direitinho! Eita povo pra feder, viu? Affff!!!!
Na volta, pudemos molhar nossos pés no Nilo. Ele perguntou se queríamos nos banhar... ele pararia um pouco o barco...
- Não, moço, obrigada... a gente tá bem assim...
Pezinho no Nilo =)

Enquanto isso, o boyzinho remando pra levar a gente de volta pro porto... SOZINHO! Ele remava sozinho, praticamente, minha gente! Deu uma pena danada dele...
Mas meu ódio não tinha passado...
Chegando no porto, o Mohammed lá já estava esperando por nós.
- Rodrigo, se ele perguntar como foi, eu não vou mentir.
- Tá bom...
...
- OOOOOOOi!!! Ma frêndi! E aí, como foi o passeio????
- Uma merda.
- o.O!
- É, foi uma merda. Preferia ter ido no outro passeio.
- Mas o que não foi bom? Como assim?

Aí eu descarreguei né... na calçada do porto mesmo, com todo mundo olhando. Tava nem aí...

- Olhe, você prometeu um passeio incrível, maravilhoso e blábláblá... e não foi nada disso! O passeio foi uma merda! Nunca fiz um passeio tão ruim na minha vida! E você blábláblábláblá..

Gente, eu falava tanto... falava tanto! O povo da rua olhando... eles tavam era estranhando uma mulher falar com um homem no tom de voz que eu tava né... devia ser isso... e Rodrigo só calado, mas concordando com tudo...

-Vamo conversar no hotel, é melhor... Vocês pegam um táxi, a gente vai pro hotel e resolve isso.
- A gente conversa é aqui mesmo! blábláblábláblá...
- Vamo pro hotel, por favor...
Chamou um táxi, a gente entrou e fomos pro hotel.
Dentro do táxi, o coitado do taxista achou de perguntar se tava tudo bem...
- Não, amigo... não tá nada bem!
- O que aconteceu??
- blábláblábláblá.... [descarreguei nele, bichinho...]
- Moça, a senhora me perdoe, mas eu não tenho nada a ver com isso, não...
- Eu sei, mas você perguntou como eu estava e o que tinha acontecido! Eu só tô dizendo...
Aí o taxista calou até chegarmos ao hotel.
- Olha aqui, seu Mohammad, eu só quero que você fique ciente de que esse passeio foi o pior da minha vida.
- Se vocês quiserem, eu devolvo 10 libras a vocês agora.
- Em que 10 libras vai me acrescentar?? Nada![em outras palavras eu disse] Fique com o sentimento de frustração. Uma coisa a dizer só: o tiozinho do barco e o menino foram ótimos. Eles não tem culpa alguma. A culpa é sua, que cobrou da gente um preço exorbitante pra um passeio porcaria. A gente vai subir agora porque temos um passeio já já. Até mais.
- Não, eu estou muito triste porque vocês estão tristes... tanto que eu vou ficar aqui em baixo esperando por vocês.
- O senhor fique onde o senhor quiser. Eu não me importo. E pode ficar triste mesmo. É pra ficar triste mesmo!

Subimos e fomos nos arrumar pra ir ao East Bank.

beijos e saudades.

0 viagens...: